Giros de Estoque em um ambiente de Gestão Lean


Uma medida da velocidade em que os materiais estão se movimentando por uma planta ou por um fluxo de valor, calculado pela divisão de uma dada medida de custos pela quantidade de estoque existente. Provavelmente, o método mais comum de se calcular os giros de estoque é a utilização do custo anual dos produtos vendidos (antes de se adicionar as despesas gerais administrativas e de vendas) como numerador, dividido pela média anual dos estoques. Assim:

Giros de estoque = Custo anual dos produtos vendidos
                             Valor médio dos estoques durante o ano

Utilizando-se o custo dos produtos em lugar do faturamento, elimina-se uma fonte de variação não relacionada ao desempenho do sistema de produção: as flutuações nos preços de vendas devido às condições do mercado. Ao se usar a média anual dos estoques em vez de um número de fim de ano, elimina-se outra fonte de variação: uma queda artificial no estoque ao fim do ano devido a uma tentativa dos gerentes em mostrar bons resultados.

Os giros de estoque podem ser calculados para os fluxos de material ao longo dos fluxos de valor de qualquer tamanho. Contudo, ao se fazer comparações, lembre que os giros diminuem de acordo com o comprimento do fluxo de valor, mesmo que o desempenho seja igualmente enxuto ao longo do fluxo. Por exemplo, uma planta que realiza apenas a montagem de um produto, pode ter 100 giros ou mais, mas quando as plantas que fornecem as peças para a planta de montagem são levadas em conta no cálculo, os giros cairão para 12 ou menos. E se os materiais forem incluídos fluxo acima, até sua conversão inicial (aço, vidro, resinas etc.), os giros diminuirão para quatro ou menos. Isso acontece porque o custo dos produtos vendidos na etapa final do fluxo não muda, mas a quantidade de materiais em estoque cresce gradualmente à medida em que se adicionam mais plantas ao cálculo.

Os giros de estoque são uma ótima medida de uma transformação lean, caso o foco mude do número absoluto de giros em cada planta, ou em todo o fluxo de valor, para a taxa de aumento dos giros. Na verdade, se os giros forem calculados precisamente, utilizando-se as médias anuais dos estoques, os resultados podem ser bastante confiáveis.


Voltar
Publicações
 
– Jose Roberto Ferro
Lançamento