Gestão da Produção

Lead Time



Gilberto Kosaka

Expressa um tempo. Na filosofia lean é um termo bastante usado e de suma importância. Entende-se por lead time um intervalo de tempo compreendido entre o início e o término de uma atividade. É fácil de ser confundido com tempo de ciclo, e às vezes, quando a atividade é simples, esses tempos se confundem.  Todavia, vamos manter uma distinção para o lead time como tal para que possamos entender e esclarecer melhor os conceitos.

Por exemplo, na área de Compras, as pessoas envolvidas nos processos deve saber claramente qual é o lead time, o intervalo de tempo para comprar os materiais necessários para a sua produção, desde a emissão do pedido até realmente o material estar a sua disposição para uso. Na produção, o lead time é o intervalo de tempo necessário para que o material passe pela fabricação – do primeiro até o último processo e estar pronto para outra etapa. Ou ainda, o lead time de entrega, intervalo de tempo necessário desde o momento que o cliente adquiriu a mercadoria até realmente ele tê-las em suas mãos. E assim por diante.

Como se pode observar, o lead time é um componente do planejamento e constitui-se em uma informação primordial no processo de atendimento ao cliente e estamos lidando com tempo, uma grandeza física, uma das mais democráticas que conhecemos !!!

Façamos aqui uma reflexão. Por que o lead time é tão importante no dia a dia de nossas atividades? É ele realmente um fator primordial na filosofia lean? Quem deve controlar e para que controlar?

Vejamos:
Tempo é dinheiro!!! Já ouvi esta expressão milhares de vezes, principalmente das lideranças , mas será que o pessoal no chão de fábrica realmente tem noção do que isso significa?
Onde se sente muito que o tempo realmente custa é quando tem que pagar juro altíssimo, pelo decurso de prazo, de pagamentos de duplicatas ou títulos, pois o prazo nesse caso é  medido em tempo, tempo esse que não pára e também não espera..!!!

Mais uma coisa, o dinheiro tem velocidade e ela é uma grandeza que vive e existe em função do tempo. Os banqueiros que o digam. Eles vivem disso!!!

Voltemos ao mundo que nos interessa. A filosofia lean. Então porque o lead time é tão importante no que estamos fazendo? É óbvio. Lean acima de tudo é buscar o máximo com o mínimo em todos os aspectos. Máximo de lucratividade através de máximo de redução de custos pela eliminação sumária dos desperdícios e quando isso não for possível pela minimização dos mesmos. Mas é só isso? É sim, somente isso!!! Simples, não?!

Em qualquer atividade onde os humanos estão envolvidos há diversas maneiras de se executar as tarefas. Acredito nisso porque pelo princípio de melhorias contínuas (kaizen) a melhor maneira ainda está para ser definida. E nessa de executar as tarefas de diversas maneiras, eliminando as restrições quanto à segurança e à qualidade, o tempo é um dos ingredientes de maior relevância, pois é um dos fatores determinantes na elaboração do custo.

No mundo competitivo em que vivemos, ser mais rápido é o que todos buscam. E no mundo da fabricação ou de serviço também não foge a regra.

Nos apoios que temos dado às empresas, que querem aplicar os conceitos da filosofia lean, o que mais nos tem chamado atenção é o lead time longo que tem no seu sistema produtivo.

As causas são diversas, mas o que vem a tona mais de imediato é o grande inventário de materiais. Por inventário de materiais entende-se o estoque de matéria-prima empilhado até o teto do almoxarifado, o estoque de material em processo ocupando a maior parte do espaço da fábrica - normalmente mais de 50 %  - e o estoque do produto acabado na área de expedição. Estoque em excesso é um grande desperdício. Ocupa espaço caro e importante da fábrica e não agrega nenhum valor nem para o cliente e também para o empreendedor, muito pelo contrário, consome recursos para controlá-lo e pior é dinheiro parado.

Então, a pergunta é: como controlar esse estoque?

Aqui entra a importância do conceito do lead time.  O Planejamento e Controle de Produção (PCP) é o grande responsável para manter o controle dos estoques dentro da fábrica. È o pivô da filosofia lean onde todas as informações são processadas, portanto conhecedor das necessidades dos clientes, da fábrica e também do que os fornecedores necessitam para manter o sistema funcionando estavelmente num processo de fluxo contínuo. No processamento dessas informações, um dos dados relevantes é o lead time. Inicia-se com o lead time da área comercial. Saber quando que o cliente necessita ser atendido; conhecer o lead time de fabricação para com precisão determinar o prazo de atendimento que satisfaça a necessidade do cliente e o lead time de suprimento dos fornecedores para praticar o just in time sistêmico. Por outro lado, os gestores das áreas de Vendas, Produção e Suprimento devem estar permanentemente ligados para, através de kaizen, encurtar cada vez mais o lead time sob sua responsabilidade para que a empresa seja mais rápida nos atendimentos às demandas. Como conseqüência dessa rapidez, uma vantagem competitiva de menor estoque torna-se uma grande realidade. E isso pode significar o grande diferencial nos negócios como um todo.

Na área produtiva, em particular, a maneira mais imediata de se encurtar o lead time é de eliminar os excessos de estoques de materiais em processo. Em seguida buscar insistentemente a estabilidade nos processos, nivelar os tempos ciclos (TC) das operações, o máximo possível e introduzir o trabalho padronizado (TP).  Com essas medidas e com ênfase no kaizen para encurtar cada vez mais o lead time, estaremos na rota mais adequada da jornada lean em busca da excelência.


Publicado em 27/11/2010


Faça seu comentário abaixo.
Eventos
04 05 MAI
Lean Summit 20/21                               
Transamérica Expo Cente...
São Paulo - SP
Publicações
 
– Lean Enterprise Insti...
Lançamento