Gestão da Produção

Just in time (JIT)



Gilberto Kosaka

Desta vez vamos pensar e discorrer sobre JIT um dos dois pilares da casa do TPS.

Este pilar tem tudo a ver com a parte produtiva do sistema.

O seu idealizador foi Kiichiro Toyoda o fundador da Toyota. Desde início da operação, uma das coisas que ele observou foi de que as peças prontas ficavam estocadas esperando até que fossem necessárias para o próximo estágio da produção.

As peças ficavam expostas e poderiam ser facilmente  machucadas e inutilizadas.  Normalmente as grandes fábricas possuem enormes espaços e recursos para estocar peças em almoxarifado. Toyota não tinha , e Kiichiro viu que isto era desperdício.

Capital economizado em estoques e espaço do almoxarifado poderiam ser usado para algo mais. Nesse momento nascia a nova filosofia de produção denominada “just-in-time”. E o que Kiichiro dizia  aos colaboradores era: nenhum componente de um carro deve ser fabricado antes da necessidade. Em outras palavras os componentes devem ser fabricados “just-in-time”.

JIT significa produzir e transportar o que é necessário, quando necessário  na exata quantidade necessária.

Objetiva a fabricação sem ou com mínimo de estoque em processo, resultando em um lead time bem curto com uma  enorme economia no custo. Beneficia a qualidade e também promove motivação dos colaboradores.

Consideremos um caso de um sistema convencional de produção. Muitas peças e componentes necessários na montagem devem ser programados para estarem no local correto do processo de produção (entre vários processos) em tempo para a montagem no modelo correto. O programa detalhado deve ser  planejado com meses de antecedência, distribuído aos fornecedores e a produção proceder de acordo.

Na prática é muito difícil  às coisas acontecerem conforme o planejado. As condições do momento em que o plano foi estabelecido pela primeira vez  e do momento de realizar a produção pode mudar drasticamente.

Mesmo não levando em consideração as mudanças é uma tarefa muito grande e difícil  para coordenar centenas de modelos e milhares de peças e componentes ao mesmo tempo sem contar com os inúmeros problemas que surgirão durante o processo de montagem.  As conseqüências previsíveis para enfrentar essa situação são de aumentar  o estoque de peças e componentes  com  aumento no lead time de produção.

A produção JIT evita todos esses problemas pela observação rígida dos três princípios a seguir:

  1. Tempo Takt : conhecer em detalhe o volume necessário (o que, quando e em que velocidade deve ser produzido),
  2. Produção Puxada : fluxo único de informação (kanban)
  3. Produção em Fluxo : Processo em fluxo contínuo (regra geral  – fluxo de   uma peça por vez)

O tempo takt e a produção em fluxo contínuo diminuem o lead time de produção  garantida pelo processamento sincronizado em todos os processos de fabricação.

A produção puxada realizada pelo uso do  kanban  é o mecanismo de controle que previne excesso de produção e assegura a rápida e precisa disseminação de informação.

Os três princípios acima têm uma pré-condição necessária para que funcionem efetivamente: heijunka , ou produção nivelada.

Recomendo a dar uma nova olhada no artigo sobre Heijunka já publicado nesta coluna, assim como o artigo sobre o tempo takt..

Nos próximos artigos estarei discorrendo sobre Produção em fluxo e Produção puxada em capítulos distintos. Aguardem.


Publicado em 13/05/2009


Faça seu comentário abaixo.
Eventos
    23 ABR
Teatro Frei Caneca
São Paulo - SP
Publicações
 
– Art Smalley
Lançamento