Estratégia e Gestão

Experimentando o Modelo de Transformação do LEI



Josh Howell

Mark Reich postou recentemente um artigo sobre hoshin no site do LEI (lean.org). Em 2014, eu era o responsável pelo seguinte objetivo do hoshin: desenvolver o Modelo de Transformação Lean (MTL) no contexto de como o LEI se engaja com a comunidade lean. Desenvolvido por John Shook e outras pessoas – durante décadas de trabalho com organizações e indivíduos que tentam a transformação –, o MTL é uma estrutura heurística para ser continuamente utilizada como um guia para experimentação, solução de problemas e aprendizado – basicamente com o objetivo de ajudar as organizações a se tornarem empresas lean.

Bem, 2014 se passou. E então, como foi feito também na metade do ano, o fim de 2014 foi tempo para reflexão. Tempo de fazer perguntas como: O objetivo foi alcançado? O plano foi executado? As metas foram alcançadas? E em todos esses questionamentos, por que ou por que não?

Ao longo do ano, trabalhamos com profundidade para entender melhor esse modelo, seu valor e sua utilidade. Fizemos isso tentando incorporá-lo a tudo que fazíamos e por meio de experimentações com você, nossos clientes, membros da comunidade e parceiros de aprendizado. Alguns dos produtos e serviços baseados no MTL que experimentamos incluem um vídeo explanatório, um dia de workshop, alguns estudos de caso e muitas ferramentas diagnósticas – de uma Análise de Efeitos e Modo de Falhas para uma folha simples de estado atual versus futuro. Também temos nos perguntado como Porter e Sanderson (de quem vocês devem se lembrar do livro “Gerenciando para o Aprendizado”) poderiam transformar uma organização se tivessem funções de níveis mais elevados do que aquelas que tinham quando lemos o livro. Isso daria um livro interessante…

Analise do uso de recursos

 

Figura 1: O Modelo de Transformação Lean

Alguns de nossos melhores aprendizados ocorreu enquanto usávamos as cinco perguntas do MTL com organizações reais tentando a transformação real e desafiadora. Um exemplo que vem à mente é a da Kroger. Por meio da experimentação, seja ela grande ou pequena, muito tem-se aprendido sobre: a) como melhorar o trabalho de criação de valor em lojas a fim de melhorar a experiência de compras dos clientes (pense: amigavelmente e recentemente); b) como desenvolver as habilidades de solução de problemas de gerentes e associados nas lojas; c) o que se exige, então, do sistema de gestão para alcançar esse estado futuro, em que o foco está em melhorar todos os dias. Empolgante!

Então, quando começou o ano de 2015 e planejamos nossas atividades de hoshin para este ano, consideramos que este objetivo foi alcançado com sucesso. Algumas metas individuais foram alcançadas, algumas não, e estamos procurando profundamente o porquê. O mesmo acontece para o plano que fizemos no início de 2014. E esta reflexão é muito importante porque, com certeza, este trabalho não está completo. O objetivo deste hoshin é a continuação em 2015, como estabelecemos, para mais desenvolvimento do modelo ao mesmo tempo em que experimentamos como o modelo pode ser “implementado” mais efetivamente. O que significa, se uma organização decide buscar a transformação lean, guiado pelas cinco perguntas, como ela deve realmente começar?

O que você acha? Como você está usando ou não o MTL? Adoraríamos saber.

Fonte: Lean Enterprise Institute.


Publicado em 13/04/2015

Clique aqui para baixar este artigo em PDF.

Faça seu comentário abaixo.
Eventos
    12 SET
Lean Digital Summit                           
CUBO
São Paulo - SP
Publicações
 
– Michael Ballé / Fredd...
Lançamento