CONSTRUÇÃO

Garantindo prazo e aumentando o faturamento em obras de mineração

Flávio Augusto Picchi, Renato Mariz, Vinicius Coral e Carlos Januncio
Entenda como o Consórcio MRF aumentou em 38% o faturamento nas obras do canal extravasor nas obras de descaracterização do complexo de Germano

A Samarco (mineradora contratante) precisava concluir o escopo replanejado do canal como uma meta essencial para o ano de 2022.  Essa obra é de fundamental importância para a mineradora.

A MRF (consórcio de construtoras composto por Milplan, Reta Engenharia e Flapa)  se encontrava em situação complicada com relação ao prazo para conclusão do escopo da obra. Com o auxílio do lean, conseguiram aumentar a produção de concreto armado em 76% e o faturamento em 38% com apenas 1 mês de projeto. Com isso, garantiram o ritmo necessário para que escopo acordado com o cliente fosse cumprido. Vamos entender como eles conseguiram isso.

Afinal, qual o problema que precisava ser resolvido?

No mês anterior ao “projeto lean” foi repactuado um novo cronograma desafiador, pois o período de chuva se iniciaria em breve, o que dificultaria bastante a execução da obra.

Devido a essas dificuldades, a aderência ao planejamento semanal estava entre 40% e 50%, algo que impossibilitaria a conclusão dentro do tempo necessário. Com isso, foi identificada a oportunidade de aplicar os conceitos e as ferramentas lean.

Garantindo prazo e aumentando faturamento com lean na construção

Com um grande desafio e um curto período para implantação do lean, foi utilizada a abordagem “kaizen” em um período de quatro semanas. Iniciou-se com uma breve capacitação do time do projeto e posteriormente se mergulhou no entendimento dos problemas no campo (gemba) e no planejamento da obra. Após se entender bem o contexto e o estado atual da obra, desenvolveu-se um framework e foi realizada a aplicação de algumas ferramentas lean de modo situacional:

  1. Planejamento visual macro do emboque. A utilização do planejamento visual com a participação do time de planejamento e produção (engenheiros e encarregados) possibilitou que eles conseguissem o melhor encaixe das equipes com planejamento detalhado e estratégia para paralelização de atividades visando garantir o prazo acordado com o cliente. Com isso, eles conseguiram concluir o piso do emboque (início do canal extravasor) dentro do prazo acordado.
  2. Implantação da rotina obeya. Através da construção de uma obeya, a equipe buscou resolver problemas de comunicação interna entre setores. Assim, eles buscaram uma maior conexão entre os setores para agilizar a solução de problemas macro e uma maior integração entre as áreas.
  3. Implementação do Gerenciamento Diário. Com a implementação do Gerenciamento Diário no time de planejamento interno e nas frentes do emboque e da escadaria do canal extravasor, o envolvimento com a equipe de campo aumentou drasticamente, criando maior alinhamento do time e maior agilidade na solução de problemas.
  4. Introdução do Trabalho Padronizado. A introdução do Trabalho Padronizado do ciclo das escadarias do canal extravasor permitiu um detalhamento do ciclo de execução da atividade dos degraus da barragem com a participação dos encarregados e a validação com a engenharia . Assim, houve a possibilidade de redução das ociosidades do ciclo e potencial redução do ciclo de execução. Além disso, foi realizada a elaboração da Folha de Estudo do Processo na frente de serviço das escadarias, como conclusão desta análise chegou-se as seguintes ações: execução mais rápida da limpeza do canal, além de evitar com que a lama entrasse no canal, pois isto atrasava o início das atividades, após a análise chegou-se o tempo líquido disponível em uma hora, com potencial de aumento da produção em 10%.
  5. Kaizen. Por fim, a introdução dos kaizens na área do emboque e na escadaria permitiu uma análise em campo dos desperdícios e dos problemas vistos. Isso gerou uma discussão com o time do projeto e um plano de ação para sanar os desvios, além de possibilitar uma maior discussão sobre ferramentas, equipamentos e materiais pendentes e a separação de alguns trabalhos para que acontecessem antes da produção (por exemplo, a variação prévia do aço). Fato esse que auxiliou a conclusão do piso do emboque no prazo acordado com o cliente e um potencial de redução do ciclo de execução dos degraus da escadaria do canal extravasor

 

 

Os resultados gerados com a implantação do lean foram emblemáticos:

  • o prazo repactuado foi cumprido;
  • o volume produzido aumentou em 76% em relação aos meses anteriores;
  • a aderência ao planejado mais do que dobrou, passando de 40% a 50% para 119%;
  • o faturamento também aumentou 38% em relação a média dos últimos quatro meses.

Quais os próximos passos do lean no consórcio MRF?

O consórcio se prepara agora para o período de chuva, que é bastante improdutivo. . Publicamos recentemente no Linkedin do Lean Institute Brasil (LIB) um Infográfico com dicas para elevar a produtividade mesmo nesse contexto.

O consórcio também busca o estabelecimento de rotinas básicas do lean como o planejamento colaborativo semanal, obeya e o gerenciamento diário nesse primeiro passo.

Em paralelo continua a capacitar o time e já busca difusão de projeto piloto para outras obras das empresas consorciadas.

Porém, há um entendimento que isso tudo é só o início de uma jornada que ainda tem muito potencial, e que resultados ainda mais impactantes podem ser alcançados em médio e longo prazos, não somente nas obras, mas também em outras etapas e áreas.

Publicado em 06/12/2023

Autores

Flávio Augusto Picchi
Senior Advisor do Lean Institute Brasil
Renato Mariz
Gerente de Projetos do Lean Institute Brasil
Vinicius Coral
Especialista do Lean Institute Brasil
Carlos Januncio
Gerente de Projetos no Lean Institute Brasil
Planet Lean - The Lean Global Networdk Journal