A jornada lean na área da saúde


Saúde
Daniel Jones - 27/09/2010


O Lean está vivo e muito bem na área da saúde. Mas quanto mais aprendemos, mais podemos enxergar novas oportunidades. Quais são os próximos passos para jornada lean na área da saúde? Estamos vendo evidências crescentes por todo mundo que a racionalização da jornada de pacientes do começo ao fim e o desbloqueio do processo de liberação, particularmente para pacientes médicos, são a chave para reduzir o tempo de permanência, para melhorar a segurança do paciente e para aliviar as pressões de custos nos hospitais.

Mas nós estamos também aprendendo que isso nunca acontecerá enquanto os gerentes do hospital estiverem preocupados com a reestruturação organizacional e com a nevasca de iniciativas que resultam em, literalmente, centenas de projetos em todo hospital e que seguram os gerentes em reuniões sem-fim, as quais levam a pouquíssimas ações.

Três coisas, porém, podem fazer isso acontecer. Primeiro: isso acontecerá se o gerenciamento puder focar o empenho de todos em algumas melhorias vitais que farão toda a diferença para seu hospital. Na verdade, você sabe quais são as duas ou três melhorias mais importantes para seu hospital?

Segundo: acontecerá se for dada a alguém a responsabilidade para coordenar, sincronizar e chegar a um acordo sobre que deve ser feito em todas as atividades envolvidas nas principais jornadas do paciente no hospital. Você tem tal pessoa exercendo essa função?

E, terceiro, isso acontecerá se os funcionários da linha de frente tiverem um sistema de gerenciamento visual em tempo real que os habilite a responder rapidamente quando as coisas não ocorrem de acordo com o plano. De fato, há um plano para quando cada passo deveria acontecer para cada paciente? Se há, você sabe se cada passo, para cada paciente, foi realizado no tempo certo e por completo? Muitos desses desafios de gerenciamento existem em outras indústrias, mas eles são mais visíveis e críticos quanto aos cuidados, no hospital, com entregas no tempo certo e alta qualidade. Nós temos refletido sobre nossas próprias experiências e conduzido nossos próprios experimentos e, brevemente, publicaremos nosso relato sobre como construir um sistema de gerenciamento lean para um hospital. Estamos, também, descobrindo outra oportunidade imensa e incomum para economizar recursos na área da saúde. Localizar representante de produtos de saúde por todo caminho, desde a manufatura, passando pela distribuição até o ponto de uso na enfermaria ou na sala de operações, revela grandes atrasos e custos desnecessários por toda parte.

Desde nosso trabalho anterior de implementação do lean na cadeia de suprimento do supermercado Tesco¹, nós sabemos que é possível reduzir o tempo total de resposta de muitos, muitos meses para poucas semanas, enquanto melhoramos significativamente a disponibilidade, reduzimos o desperdício no ponto de uso e cortamos custos em mais de um terço (1/3). Reduzir todo esse desperdício não poupa apenas o recurso do hospital, mas também permite que os fabricantes reduzam seus custos ao mesmo tempo em que protegem seus lucros.

Notas da tradutora:

1 – Tesco é uma rede internacional de supermercados de origem britânica, fundada por Jack Cohen. A rede se expandiu para diversos países e sua comercialização vai desde produtos alimentícios até seguros e empréstimos. Para ver mais, acesse: http://www.tesco.com.

Traduzido por Tamiris M Manzano.


Clique aqui para baixar este artigo em PDF.


Faça seu comentário abaixo.
Eventos
05 06 JUN
Lean Summit 2018                                 
Expo Center Norte
São Paulo - SP
Publicações
 
– Kim Barnas / Emily Ad...