Enxuga aí

Entenda como a gestão lean pode ajudar sua empresa a enfrentar o “mundo VUCA”


A pandemia da covid-19 lançou as empresas num cenário de muitas incertezas. As companhias digitais e tradicionais precisarão saber conviver num novo ambiente

Flávio Augusto Picchi

Entenda como a gestão lean pode ajudar sua empresa a enfrentar o “mundo VUCA” (Foto: NicoElNino via Getty Images)

Entenda como a gestão lean pode ajudar sua empresa a enfrentar o “mundo VUCA” (Foto: NicoElNino via Getty Images)

A pandemia da covid-19 lançou as empresas num cenário de muitas incertezas.

Para começar, os planos e metas que foram idealizados para este ano, muitos deles discutidos e negociados à exaustão nas companhias, obviamente sofreram um grande abalo já nas primeiras semanas de quarentena.

E conforme o tempo vai passando, fica cada vez mais evidente que os cenários dos próximos semestres ainda são um tanto desconhecidos. Tudo vai depender de diversos fatores, como o surgimento de possíveis tratamentos eficazes e um prazo definitivo sobre quando teremos, em nível mundial, acesso a vacinas seguras.

Em meio a isso, organizações e pessoas tentam se adaptar a essa realidade “forçada” de viver e trabalhar à distância. E isso tem mudado, evidentemente, muitos dos hábitos dos consumidores, o que com certeza gerará impactos que vão perdurar no longo prazo – mesmo quando retornarmos a uma certa normalidade.

Assim, o aumento da complexidade e de incertezas no mundo dos negócios, que já eram tendências, foi acelerado ainda mais no atual contexto do coronavírus.

Este cenário de extremo dinamismo já era uma realidade principalmente para empresas de tecnologia e startups, que vinham desenvolvendo suas formas de atuação para o chamado “mundo VUCA”.

Como muita gente sabe, essa sigla vem dos termos em inglês: Volatility (volatilidade), Uncertainty (incerteza), Complexity (complexidade) e Ambiguity (ambiguidade).

Com o cenário de incertezas que muitos já chamam de “novo normal”, não apenas as companhias digitais precisarão saber conviver num ambiente VUCA, mas todas as organizações, mesmo as que estão em setores mais tradicionais.

Por isso, precisamos aprofundar certas capacidades para enfrentar essa nova realidade. A filosofia lean sempre enfatizou princípios e práticas que podem ajudar a enfrentar cada um desses desafios colocados pelo “mundo VUCA”. Principalmente, pelo enfoque situacional desse modelo de gestão, que busca identificar claramente, em cada contexto, quais problemas precisam ser resolvidos, rapidamente, com a participação de todos.

A “volatilidade”, por exemplo, tem a ver com a rapidez com que as coisas mudam, o que faz com que seja muito difícil prever cenários de negócios. Por isso, é preciso que as empresas tenham processos de desenvolvimento de produtos, produção e distribuição que sejam extremamente flexíveis, para que possam ser rapidamente reconfigurados, caso seja necessário.

Isso é uma característica da gestão lean, que sempre disseminou pelas companhias conceitos e práticas para gerar a simplificação de processos, a redução de lead times, entre outros métodos que propiciem maior adaptabilidade.

Já a “incerteza” vem da dificuldade de prevermos o amanhã. Também para enfrentar este novo contexto, a gestão lean propõe que a organização avance através de rápidos experimentos, que possam gerar aprendizados em pequenos lotes. “Práticas ágeis”, bastante disseminadas hoje em dia, e que têm conexões, desde a origem, com princípios lean, também são extremamente úteis para a convivência com a incerteza. Isso tudo torna mais fácil realizar ajustes nas companhias, à medida em que elas vão sendo atingidas pelas mudanças de ambiente.

Por outro lado, a “complexidade” vem de ambientes de negócios cada vez mais integrados e que reúnem diversos agentes que são independentes, mas que atuam em redes, e não mais em cadeias de valor lineares, como ocorria antes.

Também nesse caso, os conceitos e as práticas lean de sempre manter uma visão sistêmica do fluxo de valor em toda a cadeia, e de fazer parceria com fornecedores, é extremamente útil para entender e otimizar essas relações.

Finalmente, a “ambiguidade” vem do fato de não ser mais possível se ter um completo conhecimento sobre as situações que serão enfrentadas. E nem prever com certa segurança as consequências de ações que possam ser tomadas.

Aqui, também, os conceitos lean de desenvolver solucionadores de problemas na “base” da organização gera uma maior robustez para se navegar através da prática cotidiana de identificar e resolver problemas. Isso através de rápidos experimentos, entendendo os resultados das ações e sempre aprendendo com elas.

Enfim, o mundo VUCA é um desafio que se generalizou. E não há evidências de que isso seja passageiro. Uma forma de estar melhor preparado é fortalecendo as capacidades organizacionais que vão resultar em maior agilidade, flexibilidade e aprendizagem rápida. A filosofia lean sempre buscou esses objetivos e pode ser indispensável para um mundo de negócios com incertezas e velocidade de mudanças cada vez maiores.

*Flávio Picchi é presidente do Lean Institute Brasil e Prof. Dr. da Unicamp


Publicado em 27/05/2020


Faça seu comentário abaixo.
Eventos
04 05 MAI
Lean Summit 20/21                               
Transamérica Expo Cente...
São Paulo - SP
Artigos
 
– Orest (Orry) Fiume
Publicações
 
– Jeffrey K. Liker
Lançamento