Perguntas Frequentes



O termo "lean" foi cunhado originalmente no livro “A Máquina que Mudou o Mundo” (The Machine that Changed the World), de Womack, Jones e Roos, publicado nos EUA em 1990. Trata-se de um abrangente estudo sobre a indústria automobilística mundial realizada pelo MIT (Massachusetts Institute of Technology). Nesse trabalho, ficaram evidentes as vantagens do desempenho do Sistema Toyota de Produção, que traziam enormes diferenças em produtividade, qualidade, desenvolvimento de produtos etc., e explicava, em grande medida, o sucesso da indústria japonesa.

Veja mais sobre este assunto no vídeo “Compreenda facilmente o sistema lean” em nosso canal do Youtube.
Surgiu na Toyota, no Japão, pós-Segunda Guerra Mundial. Seu criador foi Taiichi Ohno, engenheiro da Toyota, e seus precursores: Sakichi Toyoda, fundador do Grupo Toyoda em 1902; Kiichiro Toyoda, filho de Sakichi Toyoda, quem encabeçou as operações de manufatura de automóveis entre 1936 e 1950; e Eiji Toyoda. Inicialmente, muitas empresas enxergavam apenas a área de produção. Hoje, preferimos definir por Lean Enterprise ou Lean Business System, ou seja, a filosofia Toyota aplicada a todas as dimensões dos negócios de uma organização.
Não é um programa. A mentalidade enxuta é uma filosofia operacional ou um sistema de negócios, uma forma de: especificar valor; alinhar, na melhor sequência, as ações que criam valor; realizar essas atividades sem interrupção; sempre que alguém as solicitar; e realizá-las de forma cada vez mais eficaz, ou seja, fazer cada vez mais com cada vez menos. Também é uma forma de tornar o trabalho mais satisfatório e de eliminar desperdícios, e não empregos.
Certamente não. Embora tenha começado nessa indústria e se tornado o paradigma dominante, no livro “A Mentalidade Enxuta nas Empresas” (Lean Thinking), de Womack e Jones, já são mostrados exemplos de empresas de diversas atividades. Hoje, temos diversos casos de implementação do lean em empresas dos mais diferentes setores – tais como, construção civil, aeronáutica, siderurgia, papel/celulose, alimentos, saúde, seguradoras, bancos, tecnologia da informação, indústria naval, farmacêutica, entre outros. Veja nossos artigos com vários cases em: http://www.lean.org.br/artigos.aspx.
Você pode iniciar a implementação do lean através de suas próprias ações, porém para obter resultados significativos e de maneira profunda é necessário envolver as pessoas de sua organização e fazer com que os princípios lean se tornem o novo paradigma de gestão. Para tanto, inicie com o alinhamento das necessidades de sua empresa e defina quais objetivos nortearão os esforços lean. Veja reflexões sobre a implementação nos seguintes artigos:
Por que precisamos discutir o lean sob a ótica do negócio?
Lean enterprise: a gestão enxuta em busca da excelência
Para o sucesso da transformação lean, o ideal é que o conceito seja aplicado em todas as áreas da empresa, de vendas a compras, de finanças a recursos humanos. Deve-se sempre priorizar onde existe maior quantidade de desperdícios e oferecer a essas áreas maiores oportunidades de melhoria com impactos substanciais sobre a equação do negócio. Mas isso deve ser feito, é claro, enxergando o negócio como um todo.
Há inúmeras razões. Mas, grosso modo, diríamos que o maior problema é o foco nas ferramentas sem entender claramente o sistema e a filosofia. É difícil mudar a cultura. As crises são os maiores vetores de mudança, elas possuem uma dimensão objetiva (ex.: queda de lucratividade, perda de mercado etc.), porém, o mais importante é que dependem da interpretação que a direção da empresa dá à situação. É por isso que, no capítulo 11 do livro “A Mentalidade Enxuta nas Empresas” (Lean Thinking), quando se fala no plano de implantação, após encontrar o agente de mudança e buscar o conhecimento, o terceiro item é exatamente a busca por uma alavanca através de uma situação de emergente necessidade.
Embora a filosofia possa parecer simples e óbvia, a experiência tem mostrado que são poucas as empresas que conseguem replicar o sucesso da Toyota. A razão é simples: não é fácil. Exige, muitas vezes, uma mudança radical de mentalidade, valores e disciplina. Apenas a introdução de algumas ferramentas não significa, necessariamente, sucesso na implementação.
É um método de análise/diagnóstico gerencial e fundamental para se atingir os objetivos da gestão lean. Através da identificação do fluxo de materiais e de informações de todas as etapas do processo de um produto ou serviço, é possível identificar grandes focos de desperdício, sugerir novas alternativas (estado futuro) e um plano de ação com as etapas que deverão ser cumpridas para se alcançar a situação ideal. O manual “Aprendendo a Enxergar” (Learning to See) dá uma orientação de como fazê-lo. Originalmente em inglês, este foi o primeiro manual publicado pelo Lean Enterprise Institute e já foi traduzido para 14 idiomas, incluindo o português.
Da mesma forma com que as grandes podem se beneficiar. Esse conceito não está vinculado a escalas de produção, setores da economia e outros fatores. É uma proposta de mudança da mentalidade, voltada para sua empresa/produto, visando à satisfação total do cliente, sem que ele tenha que pagar pelas falhas e desperdícios que ocorrem durante os processos envolvidos em sua fabricação/manuseio.
O primeiro passo é entender as bases e princípios que compõem o pensamento lean. Para isso, o LIB dispõe de publicações e workshops (turmas abertas e in company) sobre os mais variados temas do mundo lean, além de oferecer um canal de compartilhamento de ideias, experiências e práticas: o Fórum de Discussão da Comunidade Lean. O LIB também apoia de maneira direta a transformação lean nas organizações através de projetos de consultoria. Para saber mais, visite nossa página sobre consultoria. Veja mais sobre este assunto em nossa área de artigos.
A formação daqueles que conduzirão ou serão envolvidos nos projetos lean dentro das empresas, deverá seguir a sequência de treinamento de acordo com as necessidades de melhoria identificadas nos treinamentos básicos de “mapeamento do fluxo de valor” e ou “kaizen e método de solução de problemas”. A partir destas análises, a empresa ou o indivíduo poderá guiar a respectiva formação. Veja lista completa de treinamentos em http://www.lean.org.br/treinamentos-e-workshops-lean-in-company.aspx .

Faça sua pergunta, compartilhe suas experiências, tire suas dúvidas em nosso Fórum de Discussão do Linkedin.



Eventos
07 08 JUN
Lean Summit 2016                                 
Expo Center Norte
São Paulo - SP
Artigos
 
– Lírio Busato e José R...
Publicações
 
– Kim Barnas / Emily Ad...